24h

Todos os dias

Rua Tenerife, 31 - 4º Andar

Vila Olímpia - São Paulo

(11) 3044-0710 / 3847-8920

contato@cwosp.com.br

Comparar listagens

Como aprender de forma mais inteligente e se tornar um aluno mais esperto

Como aprender de forma mais inteligente e se tornar um aluno mais esperto

Por acaso você já sentiu inveja de pessoas que são capazes de aprender muito rapidamente as coisas? Elas parecem entender imediatamente um conceito enquanto você ainda está tentando encaixá-lo na sua cabeça. Muitas vezes formamos a crença de que esses alunos mais “rápidos” no aprendizado são apenas mais inteligentes – o que significaria que seus cérebros estão conectados para entender e extrair fórmulas, estratégias e conceitos complicados com mais facilidade, digamos assim.

No entanto, enquanto todos somos muito diferentes uns dos outros quando se trata de aprender, ser inteligente não tem nada a ver com ser um aluno mais esperto, mas sim sobre a adoção de diferentes estratégias de aprendizagem para permitir que o cérebro descubra as coisas com mais facilidade (e, consequentemente, agilidade).

Existem certas táticas para permitir que nos tornemos aprendizes mais velozes e prova que a inteligência realmente não tem nada a ver com isso. Ao aprender essas estratégias, você pode acelerar a compreensão de um tópico e aplicá-lo praticamente a qualquer coisa que você aprenda.

Vamos lá?

Adote esses estilos de aprendizado e se torne um aluno mais veloz

Aprender com velocidade tem tudo a ver com a retenção de informações de forma mais eficiente e proveitosa durante o processo de aprendizagem. Tanto é o caso que quase qualquer pessoa pode se tornar um aluno mais ágil. Quer saber como? Experimente esses 5 conceitos na prática:

Visceralização

Quando muito jovens, aprendemos através da criação – desenho, pintura, usando cores vivas e visualização – que tudo se deriva fundamentalmente da nossa imaginação. Uma vez que entramos na escola, e na medida em que vamos ficando mais velhos, somos encorajados a esquecer tudo isso e nossos cérebros se transformam em uma atividade de típica memorização.

Mas, como é de se supor, isso não é algo que se adeque a todas as pessoas, e muitas vezes é a razão pela qual muitas pessoas lutam contra o argumento acadêmico de que não somos tão inteligentes quando comparados uns aos outros.

Conectar conceitos a partir da criação visual é uma maneira realmente boa para o nosso cérebro compreender melhor as coisas. Não tenha medo de criar imagens e diagramas coloridos, a fim de controlar sua cabeça em torno de algo difícil e mundano. Isso não só ajuda com o processo de aprendizagem e conexão dos pontos, mas também excita o cérebro e o mantém motivado.

Uso de metáforas

O cérebro lembra as coisas melhor quando comparamos uma ideia ou conceito com outra coisa. É aí que as metáforas são uma boa maneira de entender e cimentar informações. Usar um conceito para ilustrar outro irá, novamente, ajudar seu cérebro a conectar os pontos – em outras palavras, trata-se de capturar a natureza essencial de um conceito para explicar o resumo.

Conexões

Sabe aquelas pessoas que podem memorizar todo um baralho de cartas em uma ordem aleatória? Você ficará surpreso por saber que não é porque elas são muito mais inteligentes do que outras. Elas estão apenas usando uma técnica chamada de conexão.

Fazer conexões é, novamente, usar nossa imaginação. Só que, desta vez, com técnicas de storytellling para conectar um assunto a outro e criar um fluxo. Por exemplo, se você quisesse memorizar uma lista de supermercado – com laranjas, leite, bananas, mel – você poderia imaginar o seguinte: um homem laranja (laranjas) trazendo uma vaca (leite) para um macaco (banana) que foi picada por uma abelha (mel). A beleza desta técnica é que pode ajudar a lembrar de tudo, desde listas extremamente longas até conceitos abstratos difíceis. Quanto mais bizarro, melhor.

Imersão total

Você provavelmente já ouviu falar dessa técnica quando se trata de aprender um novo idioma mais rapidamente. A ideia é cercar-se completamente do que você precisa aprender para forçar seu cérebro a usar e dar sentido a isso.

Se você ficar em um país onde eles simplesmente não falam seu idioma, você precisará se adaptar para sobreviver. Este modo de sobrevivência e repetição constante aceleram o processo de aprendizagem em dez vezes porque o seu cérebro está em modo de aprendizagem constante.

O método de 5 anos

Esta é uma excelente maneira de descobrir o quão bem entendemos (ou não) um novo conceito. Pois imagine ter que explicar esse novo conceito para uma criança ou, pelo menos, alguém que não tenha a mais remota ideia do que você está falando. Aqui o x da questão é a possibilidade de simplificar o que aprendemos ao reduzirmos a complexidade fazendo uso de analogias. Então, uma vez que tenha sido apresentado a uma nova informação, pergunte a si mesmo como explicaria isso a outra pessoa. Consegue fazê-lo?

Se conseguir, você sabe que dominou o assunto, então, certifique-se de parar de vez em quando e simplesmente explicá-lo de uma maneira simples para confirmar que você de fato compreendeu bem o tema. Na maioria das vezes, é difícil aprender rapidamente porque não nos certificamos de ter entendido todos os conceitos ao longo do caminho. Esta técnica eliminará isso.

Então siga em frente e experimente esses conceitos. Se você está lutando para aprender alguma coisa, tenha em mente que todos temos nosso próprio estilo de aprendizagem. Não tenha medo de voltar às raízes da sua infância e desbloquear essa imaginação – isso o ajudará a aprender melhor e mais rapidamente.

Fonte: Lifehack

img

Laura Lopes

    Posts relacionados

    15 dicas sobre como se manter motivado para realizar seus sonhos

    É fácil cair no hábito da procrastinação ou se distrair com assuntos triviais e sem...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Como levar o dia-a-dia de uma forma mais positiva

    A pressa diária e os desafios que a vida apresenta pode tornar o dia de qualquer...

    Continue lendo
    por Nucleo P - Soluções Digitais

    Como programar a mente para eliminar os maus hábitos

    Maus hábitos tornaram-se tão arraigados no comportamento cotidiano das pessoas que, no final do...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Participe da discussão