24h

Todos os dias

Rua Tenerife, 31 - 4º Andar

Vila Olímpia - São Paulo

(11) 3044-0710 / 3847-8920

contato@cwosp.com.br

Comparar listagens

Como identificar nossos 8 mecanismos de defesa mais comuns?

Como identificar nossos 8 mecanismos de defesa mais comuns?

Ser rejeitado de um emprego que você queria muito. Um ambiente social no qual você não se sente confortável. Uma discussão estressante com seu parceiro. Todo mundo experimenta essas situações negativas na vida – e elas são inevitáveis. No entanto, você pode aprender muito sobre si mesmo ao examinar como reage a tempos difíceis.

O que é um mecanismo de defesa?

Para muitos de nós, qualquer situação que traga incerteza desencadeia uma medida protetora inconsciente que nos permite lidar com emoções desagradáveis – esses são nossos mecanismos de defesa. E no curto prazo, muitos mecanismos podem ser adaptativos. Não dizemos ou fazemos algo com ramificações potencialmente prejudiciais. Nós nos mantemos em um estado melhor.

No entanto, a longo prazo, o efeito é o oposto, já que o uso rotineiro de mecanismos de defesa pode realmente reduzir a eficácia do processamento emocional. É por isso que é fundamental tornar-se mais consciente de suas tendências pessoais. Como você lida com situações estressantes? Você vive em um estado de negação quando más notícias chegam até você? Você se encontra constantemente dando desculpas para o seu comportamento?

Você pode nunca se livrar dos seus mecanismos de defesa. Pense neles como “fios fortes” em seu sistema nervoso. Mas, com mais autoconsciência, você pode entender como esses processos estão ajudando e/ou prejudicando você, e como realmente cuidar de seu bem-estar emocional.

 

Alguns dos mecanismos de defesa mais comuns incluem:

 

Negação

Quando uma situação ou fato se torna duro demais para lidar, você pode simplesmente se recusar a vivenciá-lo. Ao negar a realidade, você está essencialmente se protegendo de ter que enfrentar e lidar com as consequências desagradáveis e a dor que acompanham a aceitação. Se você disser a si mesmo “eu bebo apenas socialmente”, em vez de lidar com seu sério problema de bebida, ou que “todo casal eventualmente perde o romance”, em vez de enfrentar seu casamento fracassado, por exemplo, está usando a negação como mecanismo de defesa. E, enquanto isso pode aliviar qualquer dor a curto prazo, a longo prazo, no entanto, a negação pode impedi-lo de fazer mudanças positivas e pode ter ramificações potencialmente destrutivas no futuro.

 

Repressão


Há uma linha tênue entre negação e repressão. Mas onde a negação envolve a recusa absoluta de aceitar uma dada realidade, a repressão envolve esquecer completamente a experiência. Com a repressão, sua mente toma a decisão de enterrar a memória no subconsciente, evitando assim que pensamentos dolorosos, perturbadores ou perigosos entrem na consciência. Este é frequentemente o caso de abuso infantil ou outras experiências traumáticas que ocorreram no início do desenvolvimento. Embora a repressão, bem como a negação, possa servir a propósitos imediatos, particularmente se você foi atormentado por uma experiência dolorosa, se você não processar e lidar com a experiência, isso pode ter consequências graves mais tarde na sua vida, então é bom ficar atento aos sinais.

Deslocamento

Quem nunca passou por um dia estressante no trabalho, depois voltou para casa e descontou a frustração nos entes queridos? Ou então aquele momento em que você teve uma discussão com o seu parceiro(a), então entrou no seu carro e saiu provocando todos os motoristas na estrada?

Com o deslocamento, você transfere suas emoções da pessoa que é o alvo da sua frustração para alguém ou algo completamente diferente. Subconscientemente, você acredita que confrontar a fonte de seus sentimentos pode ser muito perigoso ou arriscado, então você muda o foco para um alvo ou situação que aparenta ser menos intimidante ou perigosa. Enquanto o deslocamento pode protegê-lo de perder seu emprego, queimar uma ponte ou dizer ou fazer algo que poderia causar danos irreparáveis, não irá ajudá-lo a lidar com as emoções que você está experimentando, e você também vai acabar machucando alguém completamente inocente. É melhor enfrentar o problema com a pessoa com quem você está realmente frustrado.

Projeção


Imagine que você se encontra em uma situação em que se sente um peixe fora d’água. Você se sente desconfortável e um pouco ansioso. Você começa a ver que os outros estão olhando para você, algo que você percebe como um olhar crítico e inquiridor. Eles não dizem nada ou fazem algo que seja objetivamente negativo, mas sua insegurança a respeito de si mesmo faz com que você “projete” seus sentimentos sobre os outros. E os sentimentos podem se tornar tão intensos que você questiona causticamente: “Porque você está me encarando?”

A maioria de nós nos encontramos em uma situação na qual projetamos nossos sentimentos, falhas ou impulsos inaceitáveis ​​nas pessoas ao nosso redor. E a razão pela qual o fazemos é porque reconhecer essa qualidade particular em nós mesmos nos causaria dor e sofrimento. Enquanto a projeção também pode funcionar de forma positiva, quando você projeta sentimentos de amor, confiança e cuidado com os outros, quando isso nos impacta de forma negativa, apenas aumenta o estresse e a ansiedade e nos impede de lidar com a raiz das nossas emoções mais profundas. Esse é um dos mecanismos de defesa mais prejudiciais, pois pode levar a sentimentos intensos de paranóia e ansiedade.

Formação reativa

 

Com a formação reativa, você está indo além da negação e se comportando do modo oposto ao que pensa ou sente. Normalmente, a formação reativa é marcada por uma exibição flagrante. Por exemplo, o homem que prega abertamente seu desdém pela homossexualidade pode ser uma defesa contra seus próprios sentimentos homossexuais. Ao atirar pedras em alguém ou em outra coisa, você está tentando tirar a pressão de si mesmo em vez de lidar diretamente com o problema.

Regressão


Em momentos de estresse, você pode achar que seu comportamento se torna mais infantil. Isso é conhecido como regressão. Com a regressão, você volta a um nível anterior de desenvolvimento e comportamentos anteriores, menos exigentes, como forma de se proteger de ter que enfrentar a situação real. Imagine, por exemplo, ter uma discussão com seu parceiro e, em vez de usar ferramentas de resolução de conflitos, você pisa duro, bate a porta e dá de ombros para o seu parceiro. O problema com a regressão é que você pode se arrepender de deixar seu comportamento infantil se tornar autodestrutivo, e isso pode eventualmente causar ainda mais problemas do que você já possui. Você também pode se deparar com hábitos de regressão ao passar tempo com pessoas que conhecia quando era jovem, como membros da família ou amigos íntimos.

Racionalização


Nos termos mais simples, a racionalização ocorre quando você tenta explicar seu mau comportamento. Considere, por exemplo, que você tem uma reação irracionalmente raivosa a uma situação na frente de alguém de quem gosta e quer respeitá-lo. Então, para tentar justificar seu comportamento, você culpa alguém por te provocar. Mesmo que isso possa ser verdade, não é o motivo real da sua explosão, é uma desculpa. A racionalização é um mecanismo particularmente comum para aqueles com egos mais sensíveis. Na maioria dos casos, isso não ajudará você a se livrar da culpa ou justificar seu comportamento. Em vez disso, ocorrerá o efeito oposto – os que o cercam verão você como infantil ou egoísta, se você não conseguir reconhecer seus erros.

Sublimação

A sublimação ocorre quando você transforma suas emoções conflitantes, desejos não atendidos ou impulsos inaceitáveis em saídas produtivas. É a situação em que você tem um dia estressante no trabalho, então você corre a longo prazo para se refrescar. Ou você tem uma briga com seu parceiro, então se dedica a escrever músicas. Quando usada para lidar com uma situação na qual você não pode efetivamente fazer nada, a sublimação é na verdade uma forma positiva de defesa. Mas quando usado rotineiramente para evitar resolver um problema que deve ser resolvido para avançar, pode trazer repercussões negativas na vida de uma pessoa.

O primeiro passo para mudar nossos mecanismos de defesa é aceitar que somos vulneráveis a eles, em primeiro lugar. Depois de identificar como estamos lidando com situações negativas ou estressantes, você pode mudar seu estado com mais facilidade. Com o tempo, será capaz de lidar com seus problemas mais diretamente, o que ajudará você a se sentir mais completo, e pleno na vida.

Fonte: Tony Robbins

img

Laura Lopes

    Posts relacionados

    Aprendendo a Lidar com o Perfeccionismo

    Você sabe o que quer dizer a palavra perfeccionismo? Existem pessoas que possuem uma enorme...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    15 dicas sobre como se manter motivado para realizar seus sonhos

    É fácil cair no hábito da procrastinação ou se distrair com assuntos triviais e sem...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Como levar o dia-a-dia de uma forma mais positiva

    A pressa diária e os desafios que a vida apresenta pode tornar o dia de qualquer...

    Continue lendo
    por Nucleo P - Soluções Digitais

    Participe da discussão