Best-sellers de 2016 para empreendedores

Best-sellers de 2016 para empreendedores

Best-sellers de 2016 listados

Best-sellers de 2016 selecionados por Geoffrey James em várias categorias, culminando com “os melhores livros de negócios do ano” – que em 2016 será publicado por ele em 16 de dezembro, na sua esperada lista anual.

Antes dos melhores livros de negócio, porém, Geoffrey James selecionou os best-sellers de 2016 para empreendedores e pessoas que querem iniciar negócio próprio:

1. #AskGaryVee


Subtítulo: “One Entrepreneur’s Take on Leadership, Social Media, and Self-Awareness” (algo como: “Uma visão do empreendedor em diferentes campos, como liderança, social media e autoconhecimento”).


Autor: Gary Vaynerchuk

 

Porque ler: O livro é inspirador, divertido e cheio de insights. A ideia é ajudar o leitor a encarar sua carreira e negócios de novas maneiras e com entusiasmo renovado.

Citação: “Há muitas pessoas que estão na média em relação aquilo que fazem, e depois se sentem confusas com resultados também medianos… se houver qualquer conselho que possa oferecer para mudar toda a trajetória de uma carreira, é começar a se arriscar mais. Trabalhe em sua filosofia de negócio, mergulhe o mais profundo que puder em seu ofício. Você deseja ser igualmente um bom arquiteto e pedreiro. Você tem que ser capaz de pensar simultaneamente em um nível mais elevado e botar a mão na massa”.

2. Venture Deals

 

Subtítulo: Be Smarter Than Your Lawyer and Venture Capitalist (algo como: “Seja mais esperto que seu advogado e capitalista de risco”).

Autores: Brad Feld e Jason Mendelson


Porque ler: Embora não seja um livro de leitura fácil, contempla o conhecimento crucial necessário aos que consideram o capital de risco como parte do plano de crescimento.

Citação: “Embora fosse desejável operar acordos de capital de risco com um simples acordo sobre preço, um aperto de mão e um breve acordo legal, isso raramente acontece. E embora tenham havido muitas tentativas de padronizar o termo ao longo dos anos, a proliferação de advogados, capitalistas de risco e empresários, juntamente com um número cada vez maior de investimentos, impediu que isso acontecesse”.

3. Born for This

 

Subtítulo: How to Find the Work You Were Meant to Do (algo como: “Como encontrar o trabalho que você realmente deseja fazer”).

Autor: Chris Guillebeau

Porque ler: Todo ano pelo menos 100 pessoas me pedem conselhos de carreira. Na maioria das vezes, elas não têm ideia do que realmente querem fazer com suas vidas, o que torna muito difícil (ou seja, impossível) oferecer um aconselhamento decente.

Este livro da lista de best-sellers de 2016 ajuda o leitor a concentrar-se no que realmente quer fazer, tornando a construção de um negócio em torno dele um mero detalhe tático.

Citação: “Alguma vez você já perdeu a noção do tempo quando imerso em um projeto que ama? Já assumiu uma posição em que era pago para executar o serviços, mas gostou tanto, que até teria feito de graça?

Vamos chamar isso de “condição de fluxo”: a arte de maximizar a habilidade e se perder em algo em que somos realmente bons. Essa condição, como alegria e dinheiro, é essencial para o trabalho em que somos destinados a fazer.

Há muitas coisas que poderíamos fazer um pouco bem, ou mesmo muito bem.

Mas com o fluxo de trabalho é diferente. Você não irá fazê-lo bem ou mesmo muito bem: você fazê-lo de forma excepcional.

É um trabalho que vem de forma natural e fácil para você. Quando fazemos esse tipo de trabalho, outras pessoas ficam impressionadas ou até mesmo espantadas pela forma aparentemente fácil de se obter grandes resultados.

“Como ele faz isso?”, elas se perguntam.


4. The Third Wave

 

Subtítulo: An Entrepreneur’s Vision of the Future (algo como: “Uma visão do futuro pelo empreendedor”)

Autor: Steve Case

Porque ler: Este livro fornece uma imagem sólida do pensamento convencional diante da alta tecnologia.

É uma perspectiva útil se você estiver planejando lançar um negócio ou garantir um financiamento para atingir esse objetivo.

Citação: “The Third Wave” é a era em que a Internet deixa de pertencer a empresas de Internet.

É a era em que os produtos exigirão a Internet, mesmo que a Internet não os defina.

É a era em que o termo “habilitado pela Internet” começará a soar tão absurdo quanto o termo “habilitado pela electricidade”, como se fossem diferenciações notáveis.

É a era em que o conceito da Internet das Coisas – de adicionar sensores conectados aos produtos – será visto como muito limitante, porque perceberemos que o que está surgindo é a Internet muito mais ampla, a ‘Internet de Tudo’”.

 

5. The Art of Startup Fundraising

 

Subtítulo: Pitching Investors, Negotiating the Deal, and Everything Else Entrepreneurs Need to Know (algo como: “Como fazer o Pitch para investidores, saber negociar e tudo o mais que os empreendedores precisam saber”).

Autor: Alejandro Cremades

Porque ler: Muitos empresários acreditam erroneamente que se tivessem acesso a capitalistas de risco, seriam capazes de levantar dinheiro facilmente.

Este livro da lista de best-sellers de 2016 desmistifica essa ideia, explicando, em detalhes úteis, o que realmente leva à obtenção de um financiamento.

Citação: “Os anúncios de empresas sobre rodadas de financiamento exitosas que você vê e ouve falar não representam a realidade. Eles vêm de apenas algumas poucas empresas dentre inúmeros empreendimentos que são lançados a cada ano. Levantar capital é uma arte. Cada ingrediente precisa estar perfeitamente equilibrado no processo, a fim de garantir o capital.”

6. Main Street Entrepreneur

 

Subtítulo: “Build Your Dream Company Doing What You Love Where You Live” (algo como: “Construa sua empresa dos sonhos fazendo o que você ama onde você mora”).

Autor: Michael Glauser

Porque ler: Enquanto muitos de nós tendemos a pensar em empreendedorismo em termos de uma negociação difícil, a maioria das startups são empresas locais criadas para atender a uma necessidade local.

Este livro da lista de best-sellers de 2016 é uma amostra excelente e inspiradora para empresários que não se vêem como o próximo Zuckerberg.


Citação: “Cerca de 90% dos entrevistados consideram as pequenas empresas favoravelmente, com 53% conferindo uma classificação “muito favorável”. Além disso, quase metade dos americanos dizem que os proprietários de pequenas empresas exibem altos padrões éticos; apenas 6% dizem o mesmo sobre CEOs de grandes empresas; talvez o mais importante: dois terços de nós compraríamos de pequenas empresas, mesmo se os preços fossem ligeiramente superiores”.

7. The Revenge of Analog

 

Subtítulo: Real Things and Why They Matter (algo como: “As coisas reais e por que elas interessam”.

Autor: David Sax 

Porque ler: Se você não acredita que a tecnologia digital concorre com a tecnologia analógica de alta qualidade e experiências, está sendo tão iludido quanto as pessoas na década de 1960 que pensavam que os computadores eram uma moda passageira. Essa tendência é um grande negócio que vem unindo os “tecno-utópicos” do Vale do Silício.

Citação: “Cercados pelo digital, agora desejamos experiências que são mais táteis quando centradas no ser humano. Queremos interagir com bens e serviços com todos os nossos sentidos, e muitos de nós estão dispostos a pagar muito por isso, mesmo que seja mais caro e pesado que o equivalente digital. Enquanto experiências analógicas podem nos fornecer o tipo de prazeres e recompensas do mundo real que os digitais não podem, às vezes o analógico simplesmente supera digital como a melhor solução. Quando se trata do livre fluxo de ideias, a caneta permanece mais poderosa que o teclado ou o touchscreen.”


Fonte: INC.com

#cwosp

Deixe uma resposta

[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]