Parente, Orçamento e Bombas

Parente, Orçamento e Bombas

Parente assumirá a Petrobras

Novo presidente da estatal petrolífera prometeu fazer gestão “estritamente profissional”

SÃO PAULO – A confirmação da indicação do ex-ministro Pedro Parente para a presidência da Petrobras dita o tom positivo do Ibovespa nesta sexta-feira (20). A recuperação dos mercados internacionais também contribui para a alta do índice doméstico e a queda do dólar.

De acordo com João Pedro Brugger, analista da Leme Investimentos, a indicação de Parente para o comando da Petrobras agrada, principalmente, porque confirma “a percepção de que ao menos na área econômica o governo do presidente em exercício Michel Temer (PMDB) conseguiu se desvencilhar do loteamento político”.

Após aceitar o convite para assumir a estatal, Parente prometeu fazer uma gestão “estritamente profissional”, sem indicações políticas.

http://www.financista.com.br/noticias/cena-externa-e-petrobras-trazem-otimismo-ao-mercado-domestico

Desarmando Bombas

Na equipe do presidente interino Michel Temer, as derradeiras canetadas da petista Dilma Rousseff são tratadas no dia a dia do Palácio do Planalto como pautas-bombas, medidas estrategicamente assinadas para deteriorar a imagem do ainda temporário governo peemedebista. Diante da maquiagem na previsão do rombo fiscal de 2016 – se os 96 bilhões de reais já não fossem preocupantes, as novas projeções beiram um déficit de 200 bilhões de reais -, e até da liberação de última hora de reajustes salariais cujas negociações estavam adormecidas há quase um ano, os ministros do governo Temer passaram a primeira semana de governo listando medidas impopulares que terão de ser tomadas para devolver a economia aos eixos e não desvirtuar programas sociais e políticas de governo, no apagar das luzes direcionados silenciosamente a apoiadores do PT.

http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/as-bombas-que-o-governo-temer-corre-para-desarmar

Orçamento: reconstruir para obter confiança

(Bloomberg) — A economia está em pior situação do que imaginava antes de assumir o Ministério da Fazenda, há uma semana, disse Henrique Meirelles, em entrevista à agência de notícias Bloomberg.

“Eu encontro nos números uma situação pior do que esperava”, disse ele em seu gabinete em Brasília, referindo-se em grande parte ao Orçamento federal.

Contudo, o governo interino liderado por Michel Temer está em melhor posição para conseguir a aprovação de medidas econômicas no Congresso do que o de Dilma Rousseff, disse Meirelles, acrescentando que os brasileiros atualmente estão mais conscientes de que será preciso fazer sacrifícios para o crescimento retornar.

“O governo mudou, assim como a disposição do Congresso e mesmo a capacidade de negociação do próprio governo”, disse ele.

Meirelles, 70, disse em várias oportunidades que o reforço das contas públicas e a contenção do aumento da dívida pública são prioritários para reconstruir a confiança na economia, golpeada pela recessão.

http://economia.uol.com.br/noticias/bloomberg/2016/05/20/meirelles-economia-brasileira-esta-pior-do-que-eu-imaginava.htm

 

Deixe uma resposta