Steve Jobs: Lições sobre Reuniões Produtivas

Steve Jobs: Lições sobre Reuniões Produtivas

Steve Jobs: reuniões para formar uma equipe

Se você sabe alguma coisa sobre Steve Jobs, já deve ter ouvido falar ele era tudo, exceto um homem convencional. Ele era conhecido por reuniões muito inspiradoras e orquestradas e seu objetivo nessas reuniões era fazer com que todos trabalhassem em harmonia.  O primeiro passo para aprender a fazer reuniões como Steve Jobs é nomeá-las de  “sessões de brainstorming”, uma vez que ele não estava nas reuniões apenas para ouvir a si mesmo, mas para ouvir sua equipe de engenheiros, marqueteiros, designers etc. E o podemos aprender com ele e aplicarmos em nosso próprio negócio?

Seja claro no propósito da reunião


Assim que sua equipe entra na reunião, o objetivo deve ser claro. Qual problema você está lá para resolver? É importante ter uma visão clara do que você deseja alcançar para que sua equipe imediatamente reconheça que é por isso que eles estão lá. Steve Jobs era muito claro sobre o que ele queria e no por que da sua equipe estar lá. Steve Jobs era entusiasmado, apaixonado e acreditava sinceramente no porque de estar lá. Ele não tinha medo de “ir com tudo em direção ao que queria”. Liderando com paixão e propósito, ele imediatamente engajava sua equipe.

Reconheça valores criativos


Não é apenas sobre dinheiro, é sobre o que você tem a oferecer que é tão especial e por que as pessoas precisam tanto. Quando sua equipe entende que isso é algo que as pessoas têm de ter e que ela é grande parte disso, vai literalmente “fazer acontecer”. Steve Jobs era um gênio porque sabia que não poderia fazer tudo sozinho, ele precisava da sua equipe, mas não somente ele precisava saber saber seu valor, mas também a equipe precisava saber seu próprio valor.

Muitas vezes a nossa falta de realização é devido a não reconhecer o que temos diante de nós. Foi dito certa vez que: “O que você não reconhece você não comemorar e o que você não comemora acabará por sair da sua vida”. Como é triste perder um membro valioso da equipe só porque você falhou em reconhecer seu valor, especialmente se ele é a chave para obter seu produto ou serviço.

Desafios & Provocações

Steve Jobs não tinha medo de provocar sua equipe e ouvir o que tinham a dizer. No entanto, ele os desafiava também a entender por que sentiam o que sentiam. Não é suficiente o seu membro de equipe dizer: “Eu não acho que seja uma boa ideia”. Pergunte porque ele não pensam que é uma boa ideia. Há sempre uma razão ou deve haver uma tanto para o acordo como para o desacordo.

Provocar é uma coisa, mas desafiar é outra. Steve Jobs, muitas vezes, de fato, discordava com um dos membros de sua equipe, mas ele iria desafiá-los a ouvir o porquê. Desta forma, ele iria desafiá-los a pensar de forma diferente e até mesmo aprender a desafiar-se de uma maneira melhor ou diferente para conseguir algo. Portanto, por conta dos desafios e provocações, a equipe ficava com ele, porque se encontrariam fazendo seu melhor trabalho e eles foram autorizados a fazê-lo. É dessa forma que podemos encontrar um grande talento na equipe, provocando-o a ir além e o fazendo a desafiar a si mesmo.

Foco na guerra e não na batalha


Os líderes em muitos momentos estão mais preocupados com as pequenas batalhas acontecendo ao nosso redor, do que em se concentrar na maior guerra que está diante de seus olhos. Não só a nossa equipe, mas nós mesmos, devemos nos manter responsáveis pelo que está acontecendo. Steve disse, certa vez, que como equipe eles estavam se concentrando tanto em batalhas menores que haviam esquecido de manter a guerra em perspectiva.

E o que é a guerra exatamente? É sobrevivência! Ele queria que sua equipe não apenas ganhasse as pequenas batalhas, mas também que ganhassem a guerra, começando por tomar para si as próprias responsabilidades. Comece com você mesmo quando se dirigir à sua equipe, se você for o líder. Steve disse, “se você quiser mudar o comportamento do outro, comece pelo topo.”

Não permita que os erros do passado o consumam

Um erro poderia ser uma vitória ou poderia ser um trampolim para uma vitória. Em uma das reuniões de Steve, ele realmente disse à sua equipe que não queria seguir ouvindo sobre o que não tinha trabalhado no passado e quais os problemas que teve, mas sim sobre a “nova janela de oportunidade que se coloca diante deles”. Ele reconheceu o fracasso de antes e tudo o que não tinha acontecido, mas muitas vezes como empresários, estamos diante do fracasso e muitos de nós já passaram por isso mais de uma vez.


Devemos acreditar que o sucesso existe para ser desfrutado, caso contrário, não continuaríamos tentando. Então, da próxima vez que você estiver em uma reunião e membros da sua equipe trouxerem o passado de volta, deixe claro, “sim, nós cometemos um erro, mas este não é o propósito desta reunião. Estamos avançando e nós não vamos deixar esses erros do passado nos consumir agora”.

Se você tem foco, paixão, audácia e paciência, só para citar alguns, você é mais parecido com Steve Jobs do que pensa. Estas são as características que o levaram à descoberta de uma das maiores invenções do mundo. A próxima vez que você planejar uma reunião com sua equipe, dê uma boa olhada nas dicas acima e desafie-se para uma reunião estilo “Steve Jobs” e assista as grandes e bem-sucedidas coisas virão a partir daí.

Fonte: Lifehack

Uma resposta para Steve Jobs: Lições sobre Reuniões Produtivas

Deixe uma resposta