8 Dicas para Melhorar Apresentações com Ajuda da Neurociência

8 Dicas para Melhorar Apresentações com Ajuda da Neurociência

Ao longo das últimas décadas, uma enorme quantidade de esforço (e dólares) têm sido gastos na compreensão de como a mente funciona. Esta é uma boa notícia para você, especialmente quando se trata de falar em público, algo que exige entrar nas mentes (e corações) do público. A pesquisa em neurociência oferece vários insights que cada empreendedor deveria usar em suas apresentações.

Aqui estão 8 dicas da neurociência, com base em conversas com Stephen M. Kosslyn, ex-presidente do departamento de psicologia da Universidade de Harvard, e o que ele sabe sobre o cérebro humano:

1. Sempre personalize seus slides

Os seres humanos compartilham desejos e sonhos comuns, mas por baixo das semelhanças encontram-se diferenças específicas para situações individuais. Por isso uma apresentação deve abordar o que é importante para um público exclusivo. Por exemplo, sempre inclua:

» Terminologia que é significativa para o público em questão
» Demonstrações que façam sentido na experiência do público
» Detalhe o que é apropriado e interessante para a maior parte do público

2. Não basta falar, aprenda a contar uma história

A mais recente pesquisa em neurociência revelou que os seres humanos processam imagens e palavras em diferentes áreas físicas do cérebro. Se a sua apresentação inclui fotos ao lado de texto, as pessoas estarão duas vezes mais propensas a se lembrarem dela.

Combine texto e gráficos nos slides sempre que precisar para fazer uma anotação importante. Um vídeo pode criar uma explosão de movimento que acessa outras áreas do cérebro humano, tornando a apresentação (literalmente) mais memorável.

3. Planeje como direcionar a atenção do seu público

Para certificar-se de que o público segue sua linha de raciocínio, destaque os elementos importantes (tornando-os maiores, mais brilhantes etc). Forneça uma estrutura geral para ajudá-los a entender onde se encontram na mensagem que deseja transmitir.

Se precisa que seus clientes entendam algo complexo – como um diagrama de várias camadas em uma da cadeia de suprimentos, por exemplo – construa o slide uma parte de cada vez, mostrando apenas a parte que está discutindo em cada ponto na apresentação.

4. Aprimore sua mensagem básica

Ao invés de despejar informações sobre o público, só forneça o máximo de informações necessárias para suportar a mensagem básica que deseja transmitir a seus interlocutores. Elimine todos os detalhes irrelevantes e só inclua aspectos cruciais que devam ser ditos para transmitir a mensagem. Como os seres humanos são naturalmente atraídos para histórias que fazem sentido em um mundo caótico, tenha a certeza de que a sua apresentação seja uma história com começo, meio e fim. Dessa forma, o público poderá acompanhá-la mais facilmente.

5. Fale COM e não PARA o público

A apresentação deve ser como uma conversa entre amigos ou colegas, não um discurso em um palanque, uma palestra, ou (pior de tudo) um sermão. Relaxe e respire. Use o mesmo tom de voz que você usaria em uma conversa com um amigo. Deixe seus olhos cruzarem os olhos do público presente. Conte a sua história do jeito que você faria se estivesse em um jantar. Não se atrapalhe ou olhe para suas anotações. Ensaie muitas vezes para que você não precise delas.

6. Use opções de comunicação completas

Pense em seus slides não como a apresentação, mas como uma ajuda visual para a apresentação, que consiste em você se comunicar com o público. No final da apresentação, você quer que os presentes sintam que entenderam você, e não a apresentação. Com isso em mente, uma anedota pessoal ou exemplo comentado é frequentemente muito mais eficaz para fazer uma anotação importante do que qualquer coisa que possa ser exibido em uma tela.

7. Construa sua argumentação em pausas para que o público possa respirar

Se a apresentação durará muito mais que alguns minutos, você deve construí-la em intervalos que dêem tempo para que o público acompanhe o que você diz. Um intervalo pode consistir de um desenho animado, um vídeo, uma pesquisa do tipo “levante a mão quem já…”. Em suma, quebrar o ritmo ajuda a reter a atenção. Mais uma vez, conquistar o público para fazer algo ativo (em vez de apenas ouvir passivamente) acessa as diferentes partes do cérebro humano e aumenta a retenção. Mais importante ainda, fazer com que o público tome uma ação (qualquer ação!) o fará ganhar força para as próximas etapas da apresentação.

8. Prepare o público para perguntas

A última coisa que você deseja, quando pergunta “Alguma pergunta?” é um silêncio mortal. Para se certificar de que você teve um bom aproveitamento, antecipe as perguntas que possam surgir – e deixe essas partes de fora da apresentação.

E se o público não fizer perguntar e ficar por lá? Não entre em pânico. Se você ficar em silêncio por 20 segundos com uma expressão expectante, a pressão social (outra dica da neurociência), inevitavelmente, produzirá a primeira pergunta, e outras se seguirão.

Fonte: INC

Deixe uma resposta

[index]
[index]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]
[523.251,659.255,783.991]