24h

Todos os dias

Rua Tenerife, 31 - 4º Andar

Vila Olímpia - São Paulo

(11) 3044-0710 / 3847-8920

contato@cwosp.com.br

Comparar listagens

Aprendendo a Lidar com o Perfeccionismo

Aprendendo a Lidar com o Perfeccionismo

Você sabe o que quer dizer a palavra perfeccionismo? Existem pessoas que possuem uma enorme dificuldade de concluir certas tarefas profissionais. Aos olhos dessas pessoas, parece que nunca nada está bom o suficiente. Se você é assim, talvez você seja um(a) perfeccionista(a).

Perfeccionistas existem nas mais diversas áreas do conhecimento no mercado de trabalho. Por exemplo, alguém perfeccionista com o visual passa horas e horas na frente do espelho se arrumando e trocandode  roupa até se dar por satisfeito. Tem gente que é perfeccionista com a organização. Abre os armários da cozinha e cada potinho tem que estar “no lugar”, “do jeito que é pra ser”. Se houver alguma coisa fora do lugar já é sinal claro de irritação.

Fazer as coisas bem feitas é bom. Mas, como diz o ditado popular, “O ótimo é o inimigo do bom”. Ficar mudando e mudando as coisas sem parar por que o seu trabalho não está perfeito o suficiente acaba agindo contra você. Resulta numa demora excessiva para concluir o que precisa ser feito e oportunidades são perdidas com isso.

O site Evolução Pessoal preparou um artigo detalhado sobre o tema para ajudar a combater esse hábito que pode se converter em um grande vilão no dia a dia. Eis algumas dicas em destaque:

#1. Lembre-se: perfeição é uma coisa que não existe

Não existe nada perfeito. Muito provavelmente você consegue encontrar algo que poderia ser melhor diante de qualquer contexto que lhe soe mais familiar. Mesmo algo que já pareça ser perfeito. Então, qualquer coisa que você fizer sempre haverá como melhorar também. Porém, se essa perfeição não existe, deixa de fazer sentido buscá-la, seja da forma como for.

#2. Perceba os danos que esse comportamento causa em você

Ficar nessa de que nunca nada está bom o suficiente faz com que você atrase demais a conclusão do que está fazendo. Isso pode gerar outras consequências que não são positivas. Logo, é importante procurar encontrar o equilíbrio das coisas, onde algo possa simplesmente estar “bom o suficiente” para ser concluído.

#3. Não tenha receio de receber críticas

As críticas sempre vão existir. Não importa o quão perfeito você faça alguma coisa. Por outro lado, o melhor a fazer é aceitá-las e buscar sobretudo aprender algo (de útil) com elas. Almejar a perfeição não irá mudar isso.

#4. Procure trabalhar com prazos

Uma dica para quem é perfeccionista mas deseja ser mais flexível em seu comportamento no dia a dia é definir uma data final, ou um prazo de conclusão para o seu projeto ou atividade. Assim, quando chegar lá, será hora de dar o trabalho por concluído, da melhor forma que você puder fazer dentro desse prazo pré-estabelecido.

#5. Faça melhor em vez de fazer perfeito

Concluir o trabalho e liberar para outros possam vê-lo permite receber feedbacks sobre o mesmo, em tese algo tão importante para o nosso aprimoramento profissional. Uma dica importante aqui é buscar trabalhar em um processo de melhoria contínua, ao invés de querer buscar a perfeição logo de cara.

#6. Utilize o Princípio de Pareto

O Princípio de Pareto é conhecido como o princípio do 80/20. Diz que 20% do trabalho é responsável por 80% dos resultados e os 20% restantes requerem 80% do trabalho. Talvez seja a hora de você focar mais nos primeiros 20% que geram a maior parte do resultado e se preocupar menos com os outros 80%. Será?

#7. Evite comparar-se com os demais

Um problema do perfeccionismo é achar que os outros são melhores. Você fica achando que nunca é “bom o suficiente”. Ao invés disso, procure comparar-se mais consigo mesmo, e melhore (ou aprimore) qualquer coisa que você faça, um pouco de cada vez.

#8. Pratique a aceitação (de você mesmo em primeiro lugar)

Aceitar-se. Isso é algo importante a se fazer para nos tornarmos pessoas melhores. Precisamos aprender a aceitar quem somos e o quê fazemos das nossas vidas, e sermos responsáveis por nossas escolhas. E ao final saber que sim, nos sentimos plenos pelo melhor que pudemos fazer com o que tínhamos em mãos.

Fonte: Evolução Pessoal

img

Laura Lopes

    Posts relacionados

    Como identificar nossos 8 mecanismos de defesa mais comuns?

    Ser rejeitado de um emprego que você queria muito. Um ambiente social no qual você não se sente...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    15 dicas sobre como se manter motivado para realizar seus sonhos

    É fácil cair no hábito da procrastinação ou se distrair com assuntos triviais e sem...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Como levar o dia-a-dia de uma forma mais positiva

    A pressa diária e os desafios que a vida apresenta pode tornar o dia de qualquer...

    Continue lendo
    por Nucleo P - Soluções Digitais

    Participe da discussão