24h

Todos os dias

Rua Tenerife, 31 - 4º Andar

Vila Olímpia - São Paulo

(11) 3044-0710 / 3847-8920

contato@cwosp.com.br

Comparar listagens

Cultive boas conversas para colher bons negócios

Cultive boas conversas para colher bons negócios

Bons negócios

O chamado “cold-calling”, ou “ligação fria”, na tradução literal, já é algo que faz parte do passado no mundo dos bons negócios.

É uma vítima do smartphone e do correio de voz – que já funciona até mesmo via Facebook Messenger ou WhatsApp.

Os tempos são outros: enquanto ainda existem empresas que praticam o cold-calling, a taxa de sucesso despencou a quase zero.

No entanto, ainda há uma forma de cold-calling eficaz em algumas situações específicas:

  • A conversa franca cara-a-cara, algo equivalente às vendas de porta em porta do passado. 

É uma tática que funciona, gerando bons negócios, quando os clientes potenciais são pequenas empresas onde:

  1. O proprietário/operador interage com frequência com o público.
  2. Tanto o prospect como o vendedor são pequenos empresários na mesma cidade ou região.

Boa conversa x cold-calling

Considere: com um discador automático você pode fazer várias chamadas por minuto.

Mas no cara-a-cara, o tempo para chegar ao destino final pode facilmente levar uma hora ou mais.

Iniciar uma conversa assim muito abrupta desperdiça a oportunidade de conquistar o cliente aos poucos, e fazer bons negócios.

Ao invés de disparar a falar, você quer iniciar uma conversa que leve naturalmente a um bom papo sobre tudo o que você tem para oferecer.

Quando (e somente quando) o outro expressar um interesse você pode fornecer mais informações (em uma ou duas frases breves) sobre o que você está vendendo.

Em seguida, parta para o próximo passo.

Outra razão para ter uma conversa (em vez de entrar direto no assunto) é que oferece mais espaço para responder a objeções e explicar as coisas.

Por serem persuasivas, a maioria dos scripts de venda acabam fazendo objeções antes que o interlocutor engatar a conversa (Por exemplo. “Aposto que você está pensando que é impossível”).

Isso é sempre uma má ideia, porque a menos que seja possível ler precisamente a mente da outra pessoa (e não é!), você não sabe o que ela está pensando.

Além disso, a objeção pode não ter passado pela cabeça do outro… mas agora está!

Boa conversa & Bons negócios

Em vez disso, desenvolva técnicas de conversação para lidar com as objeções típicas.

Ao invés de entrar com um script de vendas (que é um tiro no escuro na melhor das hipóteses), uma abordagem mais poderosa é simplesmente continuar a conversa:

“Eu entendo. Apenas por curiosidade, em um mundo ideal, o que eles fariam por você que não estão fazendo agora?”

Ao tentar adivinhar o “porquê” por trás da objeção, você agora receberá uma resposta que pode muito bem casar com a necessidade do outro de obter seu produto ou serviço.

Essa resposta pode te deixar a um passo de fechar bons negócios. 

Em resumo, quando estiver diante de um cold-calling cara-a-cara, seu objetivo é ter uma conversa relaxada e livre de qualquer pressão.

Onde você está apenas tentando ser útil – e não simplesmente empurrar uma venda goela abaixo.

O resultado pode ser muito mais positivo do que você imagina.



Fonte: INC.com

 

 

img

Laura Lopes

    Posts relacionados

    Aprendendo a Lidar com o Perfeccionismo

    Você sabe o que quer dizer a palavra perfeccionismo? Existem pessoas que possuem uma enorme...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Como identificar nossos 8 mecanismos de defesa mais comuns?

    Ser rejeitado de um emprego que você queria muito. Um ambiente social no qual você não se sente...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    15 dicas sobre como se manter motivado para realizar seus sonhos

    É fácil cair no hábito da procrastinação ou se distrair com assuntos triviais e sem...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Uma ideia sobre “Cultive boas conversas para colher bons negócios”

    • 9 qualidades das pessoas verdadeiramente confiantes | Coworking Offices

      6 de fevereiro de 2018 a 15:05

      […] que podem atrair o seu próprio financiamento, criar os próprios produtos, construir os próprios relacionamentos e redes, escolher o próprio caminho – elas podem optar por seguir qualquer caminho que […]

      Responda

    Participe da discussão