24h

Todos os dias

Rua Tenerife, 31 - 4º Andar

Vila Olímpia - São Paulo

(11) 3044-0710 / 3847-8920

contato@cwosp.com.br

Comparar listagens

Como Fazer Dinheiro Seguindo os 12 Segredos de Investimento dos Bilionários

Como Fazer Dinheiro Seguindo os 12 Segredos de Investimento dos Bilionários

Menos da metade dos americanos têm dinheiro em ações, mas cerca de 61% deles compram pelo menos uma xícara de café por dia. Como essas duas estatísticas se cruzam? Se aqueles 61% investissem o dinheiro do café ao invés de gastar no Starbucks (ou apenas o aplicasse em uma conta de poupança), estariam a um grande passo da liberdade financeira – um valor significativo demonstrado por Tony Robbins em seu novo livro, “MONEY Master the Game: 7 Steps to Financial Freedom.” Uma palhinha do que ensina Robbins você pode acessar em português aqui.

Como um verdadeiro “guru” focado em assuntos como produtividade e liderança, Robbins tem reunido uma grande quantidade de aconselhamento financeiro em seu primeiro livro focado em fazer dinheiro. No entanto, ele não tirou todos os conselhos de sua própria cartola: Robbins se reuniu com 12 dos principais investidores do mundo para ouvir suas melhores dicas e truques de comércio e negócios para investigar a fundo como uma pessoa comum pode ter sucesso em uma economia manipulada contra ela. E o empreendedor Adan Toren teve a oportunidade de conversar com Tony Robbins e sintetizar as partes mais importantes do planejamento financeiro destinado a seus leitores.

O livro “MONEY” ajuda aqueles que sabem pouco sobre investimento – ou talvez aqueles que têm medo da ideia – a reconhecerem a importância da poupança para seu futuro – então, ao invés de deixá-los na mão, o livro mostra como começar. Robbins discute “o fator café” da economia, que é baseado na ideia de poupar gastos desnecessários ao invés de alimentá-los e fazer dinheiro com isso. Para aqueles que já estão interessados em investir (ou já começaram), “MONEY” enfatiza a importância de construir um portfólio diversificado e evitar corretores e serviços que cobram taxas particularmente elevadas. Não importa onde o leitor está no processo de poupar ou investir, ele ou ela pode se beneficiar dos conselhos de Robbins no livro.

Mas na “volatilidade da economia de hoje”, como pontua Robbins, como seria possível não apenas jogar o jogo, mas também ganhar? Como pessoas cruas no mundo dos investimentos poderiam ganhar vantagem competitiva e se diferenciar daqueles que há muito tempo fazem parte do jogo? Robbins não abordar estas questões por si só; em vez disso, ele as apresenta a bilionários autodidatas como Warren Buffett, Paul Tudor Jones, Sir John Templeton, T. Boone Pickens e outros para ver o que eles têm a dizer. E esses “titãs do investimento” têm algo a compartilhar com nós, pobres mortais inexperientes no assunto.

Conselho de 1 bilhão de dólares

Pode parecer um pouco óbvio, mas agir, simplesmente, é o primeiro passo para ter sucesso no mundo dos investimentos. O magnata do ramo de gás e energia dos EUA, T. Boone Pickens, confessa a Robbins que “muitas pessoas dizem, ‘estou pronto para mirar o alvo! Mas… elas nunca disparam.” Elas entendem os benefícios de investir, mas têm muito medo de fazê-lo (e mesmo cheguem perto disso, é normalmente um corretor que toma as decisões importantes para elas). De certa forma, o investidor e filantropo Sir John Templeton concorda, mas costumava aconselhar aqueles que ainda estavam em cima do muro. “Não só você compra com o máximo de pessimismo, como também deseja vender no pico do otimismo”, ele diz a Robbins. Conclusão óbvia: “quando todo mundo pensa que o mundo vai acabar, é o momento certo para investir e fazer dinheiro”.

Há virtualmente infinitas maneiras de começar a investir, no entanto, e Robbins admite que a enorme quantidade de opções são mais do que um pouco intimidantes. “A indexação é o caminho a percorrer”, afirma Robbins em resposta ao conselho de Warren Buffett. “O objetivo de quem é leigo no assunto não deve ser de escolher os vencedores… mas deve ser antes possuir uma seleção de empresas que, no total, são obrigadas a fazer o bem.

Em vez de pagar um corretor de investimentos, é melhor investir em um “grande negócio que possibilita ganhar a longo prazo”. E quando você finalmente se tornar um player no jogo, a “defesa se torna dez vezes mais importante do que o ataque. A riqueza que você tem pode ser tão efêmera; você tem que estar muito concentrado no lado negativo em todos os momentos”. Isso tudo de acordo com Paul Tudor Jones, que passou 28 anos consecutivos sem uma única perda. Marc Faber sustenta a afirmação: “A maior parte do ato de fazer dinheiro é por não fazer nada, apenas sentar e esperar”. Moral da história: apesar de tomar algum tipo de ação ser algo fundamental para alcançar o sucesso a longo prazo, esperar os momentos certos pode ajudar a proteger o que você construiu ao longo do tempo.

Kyle Bass, o mais jovem bilionário dos entrevistados por Robbins, de apenas 47 anos, recomenda sempre garantir que uma rede de segurança esteja lá para pegá-lo no caso de você cair – um petisco valioso para aqueles que são temerosos sobre fundos de investimento. Robbins simplifica a experiência de Bass: “Ele arriscou apenas 6 centavos para cada dólar com potencial de alta. É assim que você pode se preparar para ganhar”.

Mary Callahan Erdoes, CEO da Divisão de Ativos do J. P. Morgan (e gerente de mais de US$ 2,5 trilhões em ativos financeiros), entende que não há nenhuma maneira infalível para construir o modelo de carteira perfeito para as necessidades de todos. Para fazer um contraponto, ela compara seu conselho com suas três filhas.

“Eu tenho três filhas. Todas com idades diferentes. Elas têm três conjuntos de habilidades diferentes, e que vão mudar ao longo do tempo, e eu não vou saber quais serão. Uma pode gastar mais dinheiro do que a outra. Uma pode querer trabalhar em um ambiente onde pode ganhar muito dinheiro. Outra pode ser mais filantrópica por natureza. Uma pode ter algo que acontecerá repentinamente em sua vida, por uma questão de saúde. Uma pode se casar, a outra não; uma pode ter filhos, a outra não. Cada variação mudará ao longo do tempo, e é por isso mesmo que comecei a definir uma alocação de ativos desde o primeiro dia de vidas delas, pois isso também irá mudar”.

Robbins termina “DINHEIRO dominar o jogo: 7 Passos para a liberdade financeira”, com um plano de sete passos para fazer dinheiro, começando com a decisão de se tornar um investidor, em vez de um consumidor comum, e terminando com “fazê-lo, apreciá-la, e compartilhando it “(” TI “sendo não só os seus activos financeiros, mas seus bens pessoais, bem). Através da partilha de valor de investimento de fundo e falando de dinheiro com alguns dos investidores mais poderosos do globo ‘décadas, Tony Robbins faz seu livro em um recurso fantástico para o novo e experiente.

Robbins encerra o livro com um plano de 7 passos para o sucesso financeiro, começando com a decisão de se tornar um investidor, em vez de se manter um consumidor comum, e conclui com um “faça-o, aprecie-o e compartilhe-o” – tendo o “o” não só como um ativo financeiro, mas como um bem pessoal também. Ao compartilhar o valor de décadas de experiência em investimento e falar de dinheiro com alguns dos investidores mais poderosos do globo, o livro de Tony Robbins é um recurso fantástico tanto para leigos como experientes no assunto. Mas atualmente encontra-se disponível apenas em inglês.

Fonte: Entrepreneur

img

Laura Lopes

    Posts relacionados

    Como levar o dia-a-dia de uma forma mais positiva

    A pressa diária e os desafios que a vida apresenta pode tornar o dia de qualquer...

    Continue lendo
    por Nucleo P - Soluções Digitais

    Como programar a mente para eliminar os maus hábitos

    Maus hábitos tornaram-se tão arraigados no comportamento cotidiano das pessoas que, no final do...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Como tornar-se mais criativo exercitando o cérebro 10 minutos por dia

    Por Brian Lee Eu tinha cerca de 6 anos de idade na época, e desenhei uma foto sobre mim e meus...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Participe da discussão