24h

Todos os dias

Rua Tenerife, 31 - 4º Andar

Vila Olímpia - São Paulo

(11) 3044-0710 / 3847-8920

contato@cwosp.com.br

Comparar listagens

O que devemos aprender com o movimento Lean Startup

O que devemos aprender com o movimento Lean Startup

Você já se viu tendo que desenvolver um plano de negócios? Se não, bom para você: não é preciso começar agora. Isso é o que preconiza os membros do movimento Lean Startup. O objetivo do movimento é ajudar startups a poupar dinheiro e alcançar o sucesso com foco no problema que elas se propõe a resolver para seus clientes. A fim de fazer isso, eles oferecem muitos eventos e encontros em cidades do mundo inteiro.

Pule o plano de negócios

Os planos de negócios tomam muito tempo e não deixam qualquer margem para tentativa e erro. O plano de negócio pode ser fundamental para empresas estabelecidas, que já conhecem seu mercado e seus concorrentes, mas para startups ele não é tão ideal assim. Startups que mergulharam de cabeça em um plano de negócios tendem a “escalar muito cedo”, o que aparentemente é a razão número 1 das pequenas empresas quebrarem hoje em dia (principalmente no Brasil, onde a carga tributária é elevadíssima). O que se deve fazer, em vez disso? A resposta é: forme uma visão, mas não se apaixone por seu produto muito cedo, pois ele pode acabar partindo seu coração.

Encontre o cliente

Antes de fazer um produto que você ama, tenha certeza que não é o único a pensar nisso. Não há motivo para empregar sangue, suor e lágrimas (e muito dinheiro) em um produto que não vai vender. Claro que é difícil saber ANTES se um produto ou serviço será bem sucedido no mercado, e é por isso que existe o Lean Startup. Gregor e Christoph, membros ativos do movimento, enfatizam a importância da tentativa e erro. Eles encorajam startups a fazer suposições sobre seus potenciais clientes e, em seguida, a questioná-los a respeito.

Processo cíclico

Quando decidir começar a conduzir entrevistas com seus futuros (e possíveis) clientes, procure se aventurar na rede e encontrar pessoas que realmente comprariam o produto final. Não pergunte à sua mãe, porque ela o ama e iria comprar qualquer coisa de você. Encontre seus colegas, planeje entrevistas relevantes e sobretudo não tente vender nada ainda; haverá tempo de sobra para isso mais tarde. Mesmo que os resultados não sejam satisfatórios, não fique desesperado. O processo Lean Startup, de construir-medir-aprender, não é linear, mas cíclico.

Falhe no início

Todo mundo conhece a frase “o fracasso não é uma opção”, mas a verdade é: o fracasso é bom para você. Pelo menos você aprenderá a evitá-lo. A chave é a falhar cedo e sem gastar muito dinheiro. Se seus ciclos de construir-medir-aprender andarem mais rápido você poderá contar com várias tentativas de mudar a visão do modelo de negócio para ter a certeza de que se encaixa às necessidades do cliente antes de ficar sem dinheiro.

Qual é o problema?

Uma das partes mais importantes do processo lean startup é falar com as pessoas e aprender como se conectar com as pessoas certas no caminho certo. Sua rede pessoal (que não inclui sua mãe) é um bom ponto de partida. Você deve tentar e encontrar os “early adopters” (pioneiros ou os primeiros a adotarem o tipo de produto ou serviço proposto no negócio). Ao falar com essas pessoas, concentre-se sobre o problema que estiver tentando resolver e não na SUA suposta solução. Descubra se o problema que possui vale realmente a pena resolver, e depois veja se ele também é importante para o seu cliente. Os três pontos chave para entrevistas potenciais devem ser:

– Definir a direção e tom da conversa e destrinchar o problema
– Criar uma pergunta que sirva como âncora para guiar a conversa e buscar uma familiaridade  partir dos sinais emocionais do entrevistado
– Manter a conversa longe do produto ou serviço e se concentrar mais no problema que ele soluciona

Precisa de mais ajuda?

Depois de ter entrevistado seus colegas, há uma série de outras ferramentas adicionais, como o business model canvas. Esta ferramenta é licenciada como Creative Commons e é livre para uso. Com o modelo canvas, você pode mapear 9 pilares que necessita para que a sua ideia de negócio comece a decolar. O business model canvas é bem completo, inclui desde segmentos de clientes a fluxos de receita, e ajuda a sacar as anotações da cartola e tornar o brainstorm mais concreto.

Fonte: Deskmag

img

Laura Lopes

    Posts relacionados

    Kickstarter e fracassos de empreendedores na analise do INC

    O Kickstarter completou oito anos de idade hoje, e o INC aproveitou a data para analisar as...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Vivo Bis Internet: indução de erro ao consumidor?

    A Vivo implantou, já há algum tempo, um benefício para seu usuário: O Vivo Bis A imagem...

    Continue lendo
    por Coworking Offices Vila Olímpia

    Como o SEO Evoluirá em 2015

    Para saber como definir uma estratégia de SEO (sigla para otimização para mecanismos de busca),...

    Continue lendo
    por Laura Lopes

    Uma ideia sobre “O que devemos aprender com o movimento Lean Startup”

    • Comida: a base perfeita para a geração de um modelo Lean – Coworking Offices

      26 de fevereiro de 2013 a 12:12

      […] último post abordamos o conceito de Lean Startup na teoria. Como todos sabemos, na teoria nada – ou quase […]

      Responda

    Participe da discussão